sábado, 1 de maio de 2021

01/05/2021 - Desafio Fodax de MTB

Depois de 2 anos sem publicar nada aqui, resolvi tirar um tempo para isso novamente. De 2019 pra cá estou me dedicando mais aos treinos, e o trabalho também aumentou (não é fácil essa vida de atleta amador rsss). Então deixei o blog em segundo plano (não sei se alguém lê ainda, mas era uma coisa que eu gostava de fazer). A tecnologia e tendências de divulgar os conteúdos também mudaram e o blog acabou ficando para trás, há outros aplicativos para isso hoje.

Mas esse ano aconteceu muitas coisas boas, apesar da pandemia que enfrentamos. Uma delas foi eu e o Maneca deixarmos o orgulho de lado e voltar a fazer o que a gente gosta: aventuras, pedaladas, ciladas, sofrimentos e diversão. E agora ele está me cobrando esse blog atualizado (me ferrei).

Há dois anos eu havia traçado um trajeto de subir e descer os morros aqui da região, com bastante altimetria acumulada e aproximadamente 200 km. Me inspirei numa atividade do Daniel Sousa (cavalo doido) que é outro que adora fazer umas loucuras. O trajeto desenha o símbolo do infinito "∞" ou o número "8". Esse desafio consiste em subir a Serra Dona Francisca, descer a Estrada Rio do Júlio, subir e descer a serrinha de Santa Luzia, subir Rio Natal, descer a Estrada do Rio Manso, subir a serrinha Canivete e descer a Estrada Duas Mamas, uffa! Além do desafio físico, existe também o desafio psicológico nesse trajeto. Tentei por duas vezes concluir, mas sem sucesso. Hoje vamos tentar de novo, dessa vez tenho um parceiro forte (na verdade ele estava meio fraco, mas é muito forte de vontade e não desiste nunca).

Acordei ás 4:00hs e o Manequinha já estava acordado também. Me atrasei um pouco pra ver se o nanico desistia e eu podia voltar pra caminha. Mas ele estava lá.



 
Seguimos pela BR-101 curtindo o friozinho da madrugada e conversando um pouco. Relembrei as várias loucuras que vivemos juntos. Se procurar nesse blog, há poucas coisas que fiz sem esse carinha junto.




Subimos a Serra Dona Francisca e uma chuvinha tentou sabotar nosso pedal, mas sem sucesso.




Aqui não tem muita parada nem mimimi, tem que seguir o cronograma. E ás 7:25hs a gente já estava na entrada do Rio do Júlio. Comemos algo bem rápido e seguimos para subir e depois descer essa estrada.






A chuva deu lugar ao sol, criando uma linda paisagem e esquentando um pouco o peito frio.




Agora é só descida (mentira).



Nanico já estava com sede.

Chegamos em Schroeder, mas nada de moleza agora. Subimos a serrinha de Santa Luzia e chegamos em Corupá. Pedalamos até o centro e paramos em uma padaria para descansar e fazer um lanche mais reforçado.






Agora o bicho vai pegar, subir Rio Natal nunca é fácil. São 13km de subida contínua, com poucos trechos planos, mas o visual compensa.





O Maneca já começou a mostrar sinais de cansaço, kkkkk. Pedala seu cão sarnento. Acho que depois desse dia ele vai se dedicar mais aos treinos da semana, porque ele ama muito tudo isso.

Morro da Igreja ao fundo. Já subimos esse também.


Força nanico.



Chegamos em Campo Alegre e fomos direto para a padoca. Depois fomos fazer o lanche na parada de sempre, a prefeitura.


1024m acima do nível do mar.




Antes de descer a Estrada do Rio Manso, tem que subir.



1041m.


O clima estava agradável, 17ºC na descida fica até frio. Mas logo esquentava de novo. O Maneca estava curtindo muito esse belo passeio no bosque. Lugar que ele conhece bem de muitos anos.


Chegamos em Joinville kkkk. Só que não.

Quando menos esperávamos, chegamos na capela Nossa Senhora das Graças. Comemos mais alguma coisa e nos preparamos para mais uma longa descida.



Chegamos em Schroeder novamente e cruzamos o trajeto anterior fazendo assim o "8". Comentamos em fazer uma parada no Posto Mime, mas não era necessário. A gente só queria chegar em casa. Subimos a serrinha Canivete no "modo sobrevivência". O Maneca já estava bem cansado e ainda recebeu um belo convite para ir direto para uma festa no Costa e Silva.




Descemos a Estrada Duas Mamas e começou a ficar escuro. Parece que quanto mais perto de casa, mais cansados ficamos. Nos despedimos na Estrada Blumenau. Antes de ir para casa, fui até na padaria. Quando fui salvar o passeio vi que faltavam poucos quilômetros para fechar 200km. Mas eu não queria dar uma volta na quadra, eu só queria ir pra casa. Muitos me perguntaram depois: porquê?, porquê? Simples, não preciso, já fiz, não faz diferença agora. Faria se fosse a primeira vez de 200km, agora não preciso mais.

Quero agradecer meu novo velho parceiro de ciladas por ter aceitado o convite e pela companhia. Foi muito bom reviver novamente essas aventuras. Tenho muitos roteiros traçados que quero fazer. Sei que tenho um parceiro agora. Pra ele não precisa explicar muita coisa. É vamo? Vamo! Abraços!

Confira minha atividade no Garmin:


Confira minha atividade no Strava:

domingo, 8 de dezembro de 2019

08/12/2019 - 4ª Etapa Copa Soul de Mountain Bike

Acordamos cedo e saímos de Barra Velha rumo à Itajaí. Chegamos no local do evento, começamos a arrumar as bikes e fomos aquecer. O Ernandes largava antes do que eu. O dia já estava quente. Novamente a categoria sport já estava alinhada há mais de meia hora, o que deixava o Ernandes furioso kkkkk. Depois da largada fiquei aguardando o Ernandes. Cada volta demorava aproximadamente 35 minutos, num total de 3 voltas para a categoria sport.


Na segunda volta o Ernandes me avisou que a sola da sapatilha havia descolado, o que dificultava os movimentos de clipar, desclipar e até para fazer força.


Mesmo assim ele conseguiu impor um ritmo bom e manter a posição até o final.



Ele terminou em 9º lugar na categoria e levou um troféu para casa.


Assim que ele terminou a prova, fui conversar com ele e recebi umas dicas sobre os trechos da prova. Fui aquecer mais um pouco e por volta das 10:15hs da manhã fui alinhar, pois a largada estava prevista para às 10:30hs. Porém, devido ao atraso da categoria anterior, nossa largada aconteceu só às 11:00 hs. O sol castigava. Larguei e não forcei muito no estradão. Tentei me poupar e manter a posição. Na metade da volta começava a subida.


Era uma subida muito dura. Era difícil achar o meio termo entre força e equilíbrio. Logo depois a subida continuava, agora em zig zag até a torre de alta tensão.


Depois vinha a descida em trilha. Desci próximo de mais dois atletas. Foi um momento bem tenso para mim, não treinei muito para esse tipo de terreno e situação.


Assim que a gente saía da trilha, a descida continuava em estradão. Era de levantar poeira.


Depois vinha a passagem pela fábrica da Soul...


...e a pista de short track.

Para a minha categoria eram 4 voltas. As duas primeiras voltas fiz dentro do planejado. Na terceira volta eu ataquei para tentar conquistar algumas posições mas quebrei antes de fechar a volta. Perdi as posições novamente e na quarta volta, só mantive a velocidade para não perder mais posições. Em cada volta o Ernandes trocava a garrafa de água, o que ajudou bastante, pois o calor era demais.


Terminei na sexta colocação na categoria, assim consegui garantir a segunda colocação no ranking geral da copa na categoria pró master B1 e também no ranking Orange Team (quem competiu com as marcas Soul ou BMC).





Foi uma competição muito bem organizada, lugares lindos e trajetos ótimos. Quero agradecer meu parceiro de treinos e competição Ernandes e meus patrocinadores: Sol do Oriente, Bitentec e Manavi Bikes. Obrigado à todos os seguidores do blog e até o próximo ano.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava: