Páginas

sábado, 15 de outubro de 2016

15/10/2016 - Descendo a Estrada Rio do Júlio

Essa semana fui convidado a apresentar a Estrada Rio do Júlio ao Arthur, um colega que conheci há poucos dias e que também foi picado pelo vírus da bicicleta. Um dia ele me contou um pouco das suas pedaladas e falei pra ele da Estrada Rio do Júlio, ele ficou muito empolgado e combinamos de dar umas pedaladas por lá. Ele ainda não está acostumado com distâncias superiores á 100 km mas sempre tem a primeira vez. Combinamos de nos encontrar no pórtico da Expoville ás 6:00 hs da manhã de sábado. No dia, chovia um pouco, mas a previsão era para o tempo melhorar ao longo do dia.



Como era a primeira vez que ele subia a serra, fiz questão de fazer várias paradas para ele conhecer os lugares.




Tem um bichinho aí.

Essa foto todo mundo tem que ter quando sobe a primeira vez.


O movimento de veículos não era grande e ainda encontramos um ciclista viajante que queria chegar em Curitiba.


O ritmo estava bem tranquilo, mesmo assim acho que assustei o garoto. Subimos da ponte até o mirante em 40 minutos, mas foi um pouco puxado pra ele. Quando chegamos no mirante o Arthur queria desistir. Conversei com ele e consegui convencê-lo que faltava pouco para vencermos a serra e chegar no objetivo. Então continuamos e depois do hotel fazenda a garoa parou e o clima começou a esquentar.



Passamos pelos tradicionais sobe e desce do planalto serrano e o Arthur sempre perguntando: "falta muito?" rsss. Chegamos no início da estrada e agora tem mais subida.





Combinamos de fazer o lanche principal na igreja, parada obrigatória para os cicloturistas.



O Arthur estava curtindo muito o passeio e não se arrependeu de eu ter insistido para ele não desistir. O clima esquentou um pouco, mas não tinha sol e os borrachudos ainda estavam hibernando kkk. Foi um dia perfeito.



Passamos pelo hotel Vale das Hortências e agora tinham mais 4 km de subida até a divisa dos municípios para então começar a descida.



Chegamos na pedra da divisa dos municípios Joinville - Schroeder.



Agora é só descida, mais ou menos uns 11 km.



Paradinha para fotos.


Depois de descer alguns quilômetros fizemos mais uma parada para lanche no rio Macaquinho. Eram 10:30 hs e nosso cronograma estava muito bom.


Pegamos água fresquinha para continuar a viagem.








Mais alguns quilômetros de descida e já conseguimos ver algumas casas de Schroeder. Chegamos ás margens do Rio Manso e seguimos em direção ao centro da cidade.




Aqui seguimos em direção ao bairro Duas Mamas, mas antes fizemos uma parada no posto Mime, parada oficial dos ciclistas.


Era 11:20 hs, tomamos um café e comemos alguns salgados. Água? Não precisa, isso pegamos na natureza.





Cadê o túnel? Se não tem, o jeito é subir a serrinha Canivete.


Depois de uma subida dura, chegamos novamente em Joinville.

A pedra lá atrás marca a divisa dos municípios

Arthur chegando de boa.

Na descida da serrinha paramos para encher as garrafinhas novamente, agora tem que durar até em casa.




Voltamos apreciando as arrozeiras e passamos por um grupo de ciclistas que estavam retornando do Poço Grande.


Ás 13:20 hs cheguei em casa com 104 km rodados. Tinha falado pro Arthur que a gente chegaria entre 14:00 hs e 15:00 hs. Como para ele ainda tinham mais uns 13 km, ele chegou ás 14:00 hs em ponto. Tudo dentro do cronograma.


Assim foi mais um dia de visitar os lugares onde tenho muitas lembranças, cultivar amizades novas e incentivar os iniciantes das pedaladas. Abraços e até a próxima.

Confira minha atividade no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava:

2 comentários:

  1. Valeu a pena não desistir no mirante haha! Esqueceu de comentar sobre o tombo nas pedras kkk!! Valeu pelo passeio, sensacional o lugar. Só marcar a próxima agora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Arthur, isso mesmo, aquele momento de superação sempre tem a recompensa depois. É mesmo, esqueci de contar esse detalhe, mas tem coisas que acontecem na trip, fica na trip kkkkk. Abraços.

      Excluir