Páginas

sábado, 10 de setembro de 2016

10/09/2016 - Interpraias - Balneário Camboriú - SC

Eu estava sentido falta de fazer um longão. Então resolvi testar alguns equipamentos para a bike de estrada e também alguns suplementos novos para os pedais de longas distâncias. Quando acordei no sábado já era dia, preparei as coisas com calma e saí sem preocupação com horários. Como eu ia sozinho eu podia fazer meu próprio ritmo.




A temperatura estava bem agradável e o sol estava bem tímido. Fiz uma rápida parada na APLS para tomar um café.



Sai com o sol mais presente e a pedalada continuava rendendo.




Beto Carrero? Hoje não.
Não havia muito movimento na estrada hoje, porém em Itajaí o fluxo de veículo e caminhões sempre aumenta um pouco e o vento também.


Em Balneário Camboriú o sol predominava e o trânsito também estava tranquilo.


Fiz a segunda parada no último posto de Balneário Camboriú antes de Subir o Morro do Boi. Enchi as caramanholas com água gelada 0800 e toquei o bonde.


Essa bolsinha de bagageiro é muito firme e do tamanho certo para viagens curtas. Não pesa muito e é bem prática. O bagageiro atrapalha um pouco para as pedaladas em pé, pois não dá para jogar muito a bike para os lados.


Subi o Morro do Boi em uma cadência confortável, o sol já estava judiando, mas logo veio a descida para refrescar um pouco. Resolvi fazer uma rápida parada na Praia da Ilhota em Itapema.

Praia da Ilhota

Depois fui para Balneário Camboriú e comecei minha romaria pela interpraias.



Praia do Estaleirinho


Praia do Estaleirinho vista da interpraias
Fazia alguns anos que eu não passava por aqui e tinha me esquecido dos vários morros (paredes) que tem nesse caminho. Achei uma boa sombra para fazer meu "almoço" e reforçar o protetor solar.




Depois de repor as energias o jeito foi continuar pedalando. Apesar dos muitos morros nessa rota, passei por vários ciclistas aproveitando esse dia de sol.



Passei pela praia do Pinho, Taquaras, Laranjeiras e mais algumas que agora não vou lembrar os nomes.

A montanha russa continua

Teleférico



 



Marina

Chega de turismo, já eram 11:30 hs e eu precisava chegar em casa. Botei a magrela no asfalto e fui na cadência controlada.


Em pouco tempo eu já estava passando por Itajaí, o trecho de maior dificuldade na minha opinião.


Mesmo controlando a suplementação comecei a ter picos de hipoglicemia. Reconheci logo os sintomas e tive que fazer uma parada não planejada em Barra Velha para tomar uma Coca-Cola. Isso não é uma recomendação da minha nutricionista, mas nessas horas uma Coca gelada vai bem.


Logo eu já consegui encaixar o ritmo e a pedalada fluiu novamente. Fiz a parada programada no Posto Sinuelo ás 14:20 hs.



Descansei um pouco e agora não tinham mais parada programadas

Há alguns metros de casa vi uma barraquinha de caldo de cana e não resisti. Tomei dois copos e ainda enchi uma garrafinha para levar pra casa.


Cheguei em casa ás 16:00 hs muito feliz com o meu passeio de 230 km. Foi uma pedalada de treino, turismo e superação. Pedais longos não exigem somente do físico, mas a parte psicológica também. Pretendo fazer mais alguns desse tipo esse ano. Abraços e até o próximo desafio.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava:

sábado, 3 de setembro de 2016

03/09/2016 - Schroeder - SC

No sábado de manhã aceitei o convite do pessoal para tomar café da manhã em Schroeder, cidade vizinha de Joinville. O tempo não estava muito favorável e tinha previsão de chuva. Mesmo assim saí de casa e fiquei aguardando para ver se aparecia algum maluco disposto a carregar lama no lombo. Logo apareceram o Marcelo, Ernandes, Denis e o mais maluco de todos o Flavio que resolveu por a speed na estrada de chão.



Subimos a serrinha Duas Mamas e o Flavio foi também, firme e forte. No topo da serrinha encontramos o Jed com mais uma turma. Nos cumprimentamos e seguimos para o nosso objetivo. Começou a chover de verdade e o Flavio não quis saber de aliviar na descida. Ainda desceu na minha frente. Eu estava sem óculos e meu pneu respingava muita lama.




Cheguei no posto Mime e o pessoal dava gargalhadas perguntaram por qual caminho eu tinha passado kkkk.



Fui me lavar um pouco e tomamos o tal café da manhã. Depois o Flavio resolveu voltar por Schroeder I, o Marcelo e o Ernandes foram subir a Estrada Rio do Júlio e eu e o Denis resolvemos voltar pelo mesmo caminho. Mesmo com as adversidades nos divertimos muito, deu muita história para contar. Agora é só chegar em casa e tentar colocar a bike dentro do apartamento kkkk. Semana que vem vai para a revisão. Abraços e até a próxima aventura, sem muita lama eu espero.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava:

domingo, 28 de agosto de 2016

28/08/2016 - Desafio do Mirante

Essa corrida já virou uma das clássicas de Joinville. Está na terceira edição e participei de todas. O circuito não mudou muita coisa. Esse ano a chegada foi lá em cima, diferente do ano passado que o mirante estava em reforma e a chegada foi na última curva. Acordei cedo e minha esposa resolveu ir junto. Deixei o carro estacionado atrás da Kavo e segui até a rua em frente ao fórum onde seria a largada. Minha esposa já foi caminhando morro acima para me esperar lá.



Tinha um leve neblina no ar e estava um pouco frio. Comecei o aquecimento enquanto minha esposa ia registrando a sua subida do mirante.

Tucano




Tá sofrido rsss
Enquanto isso eu estava lá em baixo já me posicionando nas cabeças. Dada a largada demos uma volta na avenida beira rio e passamos novamente pelo portal da largada. Depois seguimos até a fábrica da Lepper e entramos á esquerda para começar a primeira subida do dia. Subimos um morrinho bem íngreme e entramos mata á dentro por meio de uma trilha que ainda estava lisa. Na parte pavimentada não tem mais descanso, agora é só morro acima. Até aqui não caminhei nenhuma vez, segui alguns competidores e guardei fôlego para o sprint na última subida. Mesmo assim tive que dar alguns passos e faltando alguns metros para a linha de chegada eu arranquei e consegui ultrapassar mais um corredor, ficando assim em 5º lugar na minha categoria.


Superei os 5,4 km em aproximadamente 27 minutos.


Muitos chegavam e já se atiravam no chão de tão exaustos.


O Cabelo aproveitou o dia de folga para subir o mirante também.

Eu e o Deivi (Cabelo)
Fiquei ali sentado um tempo, a neblina ia e vinha conforme ondas. Resolvi subir a torre do mirante para observar em volta.




Parecia um enorme mar de algodão



Depois descemos caminhando e para relaxar mais um pouco fomos dar uma volta no Zoobotânico.









Assim foi mais um dia de desafio, superação, passeio e diversão. Abraços.

Confira minha corrida no Garmin:

Confira minha corrida no Strava: