Páginas

domingo, 23 de outubro de 2016

23/10/2016 - Prova de Ciclismo Subida do Mirante

Esse mês a FCC (Federação Catarinense de Ciclismo) resolveu promover uma prova extra de ciclismo de estrada, tendo como desafio a chegada ao alto no Mirante do Boa Vista. A prova consistia pedalar pelo circuito da avenida Beira Rio durante uma hora e depois seria liberada a pista para subir o mirante. O dia amanheceu chuvoso, mas isso não desanimou os ciclistas da região. Comecei a encontrar alguns colegas do pedal que também resolveram topar o desafio.

Eu e Flavio no aquecimento

Alguns só vieram para tirar fotos

O que a gente está fazendo aqui na frente?
Ficamos ouvindo as últimas instruções enquanto o pessoal chegava.

Foto: Alessandro Batschauer

Foi dada a largada e como sempre o pessoal impôs um ritmo forte, média entre 45 km/h já para deixar os mais fracos para trás.

Foto: Alessandro Batschauer

Mas o que matava mesmo eram as retomadas depois das curvas. A velocidade caía para 23 km/h e em segundos ia para 45 km/h, isso ia acabando comigo.

Foto: Alessandro Batschauer

Depois de três voltas não aguentei mais no pelotão e fiquei em um segundo grupo, onde logo chegou o Rodrigo e voltas de pois o Flavio também veio fazer companhia.

Foto: Alessandro Batschauer

Tentamos manter a velocidade, mas acabamos levando uma volta do pelotão principal. Alguns conseguiram seguir na rabeira do pelote novamente, mas eu acabei ficando no pelotão que estava.

Foto: Alessandro Batschauer

Foto: Alessandro Batschauer

Depois de uma hora de prova, começamos a subir o mirante. O primeiro trecho de calçamento é para testar as forças nos braços e equilíbrio, depois tem que colocar forças nas pernas.

Foto: Alessandro Batschauer

Assim que o pessoal ia chegando já se atiravam no chão, a última parte da subida é bem íngreme e muitos não tinham relação suficiente para subir pedalando, que era o meu caso também.

Foto: Alessandro Batschauer

Empurra mas não finge.

Foto: Alessandro Batschauer

Eu tentei caminhar com a sapatilha de ciclismo, mas era quase impossível. Tirei elas e saí correndo só de meias empurrando a bike.

Foto: Alessandro Batschauer

Ainda bem que o apoio estava bem reforçado e o Ernandes trouxe as sapatilhas pra mim.

Foto: Alessandro Batschauer

Foto: Alessandro Batschauer

Foto: Alessandro Batschauer

Foto: Alessandro Batschauer

Todos chegaram muito exaustos, mas depois foi só alegria.

 



Tivemos muita história para contar e rir. Dos 29 inscritos na minha categoria fiquei em 21º, muito contente com a classificação, mas fiquei mais feliz ainda de ter participado dessa prova na presença de muitos conhecidos. Abraços e até a próxima.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava:

sábado, 15 de outubro de 2016

15/10/2016 - Descendo a Estrada Rio do Júlio

Essa semana fui convidado a apresentar a Estrada Rio do Júlio ao Arthur, um colega que conheci há poucos dias e que também foi picado pelo vírus da bicicleta. Um dia ele me contou um pouco das suas pedaladas e falei pra ele da Estrada Rio do Júlio, ele ficou muito empolgado e combinamos de dar umas pedaladas por lá. Ele ainda não está acostumado com distâncias superiores á 100 km mas sempre tem a primeira vez. Combinamos de nos encontrar no pórtico da Expoville ás 6:00 hs da manhã de sábado. No dia, chovia um pouco, mas a previsão era para o tempo melhorar ao longo do dia.



Como era a primeira vez que ele subia a serra, fiz questão de fazer várias paradas para ele conhecer os lugares.




Tem um bichinho aí.

Essa foto todo mundo tem que ter quando sobe a primeira vez.


O movimento de veículos não era grande e ainda encontramos um ciclista viajante que queria chegar em Curitiba.


O ritmo estava bem tranquilo, mesmo assim acho que assustei o garoto. Subimos da ponte até o mirante em 40 minutos, mas foi um pouco puxado pra ele. Quando chegamos no mirante o Arthur queria desistir. Conversei com ele e consegui convencê-lo que faltava pouco para vencermos a serra e chegar no objetivo. Então continuamos e depois do hotel fazenda a garoa parou e o clima começou a esquentar.



Passamos pelos tradicionais sobe e desce do planalto serrano e o Arthur sempre perguntando: "falta muito?" rsss. Chegamos no início da estrada e agora tem mais subida.





Combinamos de fazer o lanche principal na igreja, parada obrigatória para os cicloturistas.



O Arthur estava curtindo muito o passeio e não se arrependeu de eu ter insistido para ele não desistir. O clima esquentou um pouco, mas não tinha sol e os borrachudos ainda estavam hibernando kkk. Foi um dia perfeito.



Passamos pelo hotel Vale das Hortências e agora tinham mais 4 km de subida até a divisa dos municípios para então começar a descida.



Chegamos na pedra da divisa dos municípios Joinville - Schroeder.



Agora é só descida, mais ou menos uns 11 km.



Paradinha para fotos.


Depois de descer alguns quilômetros fizemos mais uma parada para lanche no rio Macaquinho. Eram 10:30 hs e nosso cronograma estava muito bom.


Pegamos água fresquinha para continuar a viagem.








Mais alguns quilômetros de descida e já conseguimos ver algumas casas de Schroeder. Chegamos ás margens do Rio Manso e seguimos em direção ao centro da cidade.




Aqui seguimos em direção ao bairro Duas Mamas, mas antes fizemos uma parada no posto Mime, parada oficial dos ciclistas.


Era 11:20 hs, tomamos um café e comemos alguns salgados. Água? Não precisa, isso pegamos na natureza.





Cadê o túnel? Se não tem, o jeito é subir a serrinha Canivete.


Depois de uma subida dura, chegamos novamente em Joinville.

A pedra lá atrás marca a divisa dos municípios

Arthur chegando de boa.

Na descida da serrinha paramos para encher as garrafinhas novamente, agora tem que durar até em casa.




Voltamos apreciando as arrozeiras e passamos por um grupo de ciclistas que estavam retornando do Poço Grande.


Ás 13:20 hs cheguei em casa com 104 km rodados. Tinha falado pro Arthur que a gente chegaria entre 14:00 hs e 15:00 hs. Como para ele ainda tinham mais uns 13 km, ele chegou ás 14:00 hs em ponto. Tudo dentro do cronograma.


Assim foi mais um dia de visitar os lugares onde tenho muitas lembranças, cultivar amizades novas e incentivar os iniciantes das pedaladas. Abraços e até a próxima.

Confira minha atividade no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava: