Páginas

sábado, 30 de julho de 2016

30/07/2016 - Morro Pelado - Joinville - SC

Esse era um desafio que eu queria fazer há anos. Li muitos relatos das dificuldades sobre esse morro, da trilha difícil e pouco frequentada e de pessoas que se perderam. Depois de adquirir um pouco de experiência, o Maneca plantou a sementinha do desafio e sugeriu para que eu conhecesse o tal Morro Pelado. Lancei o convite e me surpreendi com a quantidade de "capitães do mato" que toparam o desafio. Após dois dias de chuvas, saí de casa no sábado ás 5:00 hs, passando de casa em casa pegando cada um dos Cães Sarnentos. Primeiro foi o Maneca, Fabinho, Cabelo e por último o Flavio. Chegamos no alto da Dona Chica, estacionei a querida Capivara e nos preparamos para enfrentar mais de 5 km de trilha.


O dia já amanhecia quando entramos na mata e já percebemos o terreno e as plantas bem úmidas.


Na bifurcação pegamos o caminho da esquerda que vai para o Morro Pelado, o da direita leva até o Castelo dos Bugres.



Tivemos que passar por vários atoleiros pelo caminho, em um deles o Flavio quase perdeu seu lindo tênis.



O barulho de água foi ficando mais forte e ao lado da trilha encontramos um rio com duas quedas d'água.








Trilha muito fechada em alguns lugares


Flavio procurando o tênis que ficou no atoleiro


Depois de um bom tempo de caminhada começam a aparecer algumas fitas indicando o caminho. No início elas são raras, mas se tornam mais frequentes a medida que vai chegando próximo a pedra.




Essa trilha é pouco frequentada por praticantes de aventuras, mas pelo jeito caçadores e ladrões de palmitos não fazem o mesmo e ainda deixam rastro pelo caminho.




Depois de subir e descer dois morrinhos chegamos na grande pedra que na verdade é o Morro Pelado. Seguindo á direita tem a área para acampamento e á esquerda é a continuação da trilha e o acesso ao topo.




Primeiro fomos na área de acampamento que fica protegida pela enorme pedra.







Depois continuamos para o objetivo principal.




Por sorte uma alma bondosa deixou alguns metros de corda para facilitar a escalada na rocha.




Alguns metros de corda e várias raízes depois chegamos ao cume do Morro Pelado á 1011 metros de altitude acima do nível do mar, segundo o meu GPS.





Hotel Fazenda Dona Francisca




Como não dava para ter a visão dos morros que eu queria, fui fazer o lanche e torcer para a serração ter se dissipado. Todo mundo fez o lanche em pé pois o Maneca já estava colecionando carrapatos e claro que ninguém queria levar esses monstrinhos para casa.


Logo depois o céu se abriu e pude ver o Pico Jurapê.


Pico Jurapê


E do outro lado o Castelo dos Bugres.

Castelo dos Bugres




Fabinho, Maneca, eu, Cabelo e Flavio

Após muitas fotos, diversão e carrapatos, resolvemos descer o morro.


Parece que é mais difícil do que subir. Logo já estávamos na trilha e agora eram mais 5 km até o asfalto.


O Maneca também estava muito feliz de ter reencontrado o Morro Pelado, mas dizia que a floresta não queria a gente lá. Tanto falou isso que em um dos trechos demos uma volta até encontrar a sequencia da trilha.


"Viu só" - ele dizia - "isso foi uma armadilha que a mata fez para destruir a gente". Kkkk, ouvimos muitas estórias por mais de 5 horas.


Chegamos na bifurcação que havíamos iniciado.





O Flavio estava com o seu calçado ensopado e todo mundo estava muito sujo, molhado e com alguns carrapatos. Deixei novamente todos em casa e antes das 14:30 hs eu já estava em casa também.


Assim foi mais um dia de reunir os amigos e fazer uma atividade diferente, conhecendo e explorando os lugares da nossa região. Quem quiser fazer essa trilha, aconselho ter um bom conhecimento de mata e navegação GPS. Também precisa estar muito bem fisicamente. Essa trilha exige muita força nas pernas e nos braços. Montanhismo não é passeio, tem que estar preparado para qualquer situação. Abraços e até a próxima.

Confira minha caminhada no Garmin:

Confira minha caminhada no Strava: