Páginas

domingo, 28 de agosto de 2016

28/08/2016 - Desafio do Mirante

Essa corrida já virou uma das clássicas de Joinville. Está na terceira edição e participei de todas. O circuito não mudou muita coisa. Esse ano a chegada foi lá em cima, diferente do ano passado que o mirante estava em reforma e a chegada foi na última curva. Acordei cedo e minha esposa resolveu ir junto. Deixei o carro estacionado atrás da Kavo e segui até a rua em frente ao fórum onde seria a largada. Minha esposa já foi caminhando morro acima para me esperar lá.



Tinha um leve neblina no ar e estava um pouco frio. Comecei o aquecimento enquanto minha esposa ia registrando a sua subida do mirante.

Tucano




Tá sofrido rsss
Enquanto isso eu estava lá em baixo já me posicionando nas cabeças. Dada a largada demos uma volta na avenida beira rio e passamos novamente pelo portal da largada. Depois seguimos até a fábrica da Lepper e entramos á esquerda para começar a primeira subida do dia. Subimos um morrinho bem íngreme e entramos mata á dentro por meio de uma trilha que ainda estava lisa. Na parte pavimentada não tem mais descanso, agora é só morro acima. Até aqui não caminhei nenhuma vez, segui alguns competidores e guardei fôlego para o sprint na última subida. Mesmo assim tive que dar alguns passos e faltando alguns metros para a linha de chegada eu arranquei e consegui ultrapassar mais um corredor, ficando assim em 5º lugar na minha categoria.


Superei os 5,4 km em aproximadamente 27 minutos.


Muitos chegavam e já se atiravam no chão de tão exaustos.


O Cabelo aproveitou o dia de folga para subir o mirante também.

Eu e o Deivi (Cabelo)
Fiquei ali sentado um tempo, a neblina ia e vinha conforme ondas. Resolvi subir a torre do mirante para observar em volta.




Parecia um enorme mar de algodão



Depois descemos caminhando e para relaxar mais um pouco fomos dar uma volta no Zoobotânico.









Assim foi mais um dia de desafio, superação, passeio e diversão. Abraços.

Confira minha corrida no Garmin:

Confira minha corrida no Strava:

sábado, 27 de agosto de 2016

27/08/2016 - Guaramirim e Schroeder

O objetivo de hoje era aproveitar o sol, temperatura agradável do dia e explorar alguns morros da região de Guaramirim. É um trajeto que eu já havia feito há algum tempo a pedido de um colega mas que por motivos pessoais hoje não quis participar. Então o Flavio resolveu me acompanhar. O ritmo seria de cicloturismo já que amanhã vou participar da prova de corrida Desafio do Mirante. Hoje é dia de conhecer lugares sem se desgastar muito. Combinamos de sair ás 7:00 hs do Vila Nova e pontualmente o Flavio já chegou.


Seguimos pela Estrada Blumenau ainda com a presença de uma forte serração, mas a previsão era para o sol aparecer mais tarde.


Fomos até o final da estrada e acessamos a rodovia do arroz que estava com o asfalto bem molhado.


Depois de alguns quilômetros saímos do asfalto, acessamos uma estrada de chão e começamos a explorar um pouco da região de Guaramirim.


Entramos em uma rua que dá acesso a um morro e que possivelmente é o morro que tem uma antena que dá para ver as luzes da BR-280. O asfalto virou calçamento e logo depois entramos na estrada de chão novamente. A subida continuava e logo as casas foram desaparecendo, algumas já estavam abandonadas.





A estrada terminou e se iniciava uma estreita trilha em meio à mata e seguimos com nossas bikes deslizando e patinando sobre o barro vermelho e terreno muito úmido.


Chegamos em um ponto que a trilha subia um morro e estava um atoleiro só. Para subir á pé já seria bem difícil, imagina ter que carregar as bikes, então resolvemos ficar por ali mesmo e combinamos de voltar aqui em um dia que a trilha estivesse mais seca.




Descemos o morro e visitamos os pontos turísticos de Guaramirim antes de levar o Flavio para o segundo morrinho do dia.


Cada vez que eu via os trilhos me despertava a lembrança das caminhadas que fiz sobre eles indo de uma cidade para outra. Hoje meu colega taxista não estava aqui para a gente jogar um pouco de conversa fora.






Já estávamos saindo da cidade quando lembrei que tinha que levar o Flavio para subir mais um morrinho e depois irmos para Schroeder tomar o café da manhã.

Esse é só o começo, fica bom na parte de concreto

Depois de vencermos a dura subida o Flavio percebeu que as marchas da sua bike não estavam funcionando e vimos que o cabo de aço rompeu o conduíte. Fizemos alguns ajustes para ele poder usar as marchas mais leves.


Descemos o morro e chegamos em Schroeder I, agora o sol já se fazia presente e começou a esquentar.




Chegamos no posto Mime, ponto de encontro dos ciclistas, para o nosso café da manhã. Agora é só relaxar um pouco e voltar para casa.


O último "morrinho" do dia era a Serra Canivete, apesar de eu não ter forçado muito, já estava bem desgastado.




No topo da serrinha não paramos por muito tempo e logo descemos, mas as curvas estavam meio escorregadias pois espalharam brita em alguns trechos e ela estava bem soltinha, um convite para sair da pista e agarrar o mato. Chegamos novamente na Estrada Blumenau.


O Flavio estava reclamando muito de dores no joelho e muitas vezes via ele pedalando com uma perna só.


Não demorou muito para eu chegar em casa, mas o Flavio ainda tinha uns 12 km para poder descansar.


Nos despedimos e nos comprometemos a subir aquele bendito morrinho da antena de Guaramirim assim que possível.


Assim foi mais um dia de passeio sobre duas rodas. Adoro as competições e os treinos fortes, mas não consigo deixar o cicloturismo de fora da minha agenda. Muito obrigado e até o próximo post.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava: