Páginas

domingo, 28 de junho de 2015

28/06/2015 - Corrida até a Cascata Pirai

Domingo a tarde, o sol brilhando lá fora e eu dentro de casa? Tem alguma coisa errada. Já comecei a arrumar umas desculpinhas com a esposa para eu dar uma escapada. Tenho tudo no quintal de casa, então só faltava eu tomar a atitude. Coloquei meu traje de corrida e parti pelas estradas da região do Pirai.



Segui pela Estrada Comprida e resolvi fazer uma visita na Cascata Pirai. Fazia tempo que eu não ia até lá. Passei pela sociedade do Piraí, único trecho de asfalto e logo continuei no estradão.



Durante a corrida tentava manter o ritmo constante mas fiz várias pequenas paradas para fotos.



Não lembrava mais como é longe e fui subindo e descendo morros até o sol se esconder e o chão ficar molhado.






A região estava movimentada por carros. Engraçado que o pessoal vem "passear" pra cá de carro mas tem que andar a 80 km/h, apreciando bem pouco toda a beleza que a natureza oferece e colocando em risco quem realmente está curtindo.


Com aproximadamente uma hora e 10,5 km de corrida cheguei até o portão da Celesc de onde é possível avistar a cachoeira do Pirai e onde está localizada a antiga hidrelétrica.




Não demorei muito ali pois os borrachudos estavam famintos. Iniciei o meu retorno pelo mesmo caminho apreciando a paisagem por outro ângulo.








Fim do turismo rural.


Antes de chegar em casa lembrei do Maneca pois tive que dar umas voltas na quadra para garantir a distância de meia maratona rsss.


Assim foi mais uma corrida, mais um treino, mais um desafio vencido, mais lugares que conheci. Abraços.

Confira minha corrida no Garmin:

Confira minha corrida no Strava:

sábado, 27 de junho de 2015

27/06/2015 - Salto do Guamiranga - Guaramirim - SC

Eu tinha outro trajeto em mente, mas com a indecisão do tempo também fiquei indeciso em confirmar um pedal para sábado. Para acabar de vez com minhas expectativas o Cassiba manda mensagem marcando um pedal para sábado a tarde. Achei muito estranha essa iniciativa dele mas depois fiquei sabendo que a pessoa por trás desse passeio era o Maneca. Pois bem, saí de casa ás 13:00 hs, o sol esquentava a tarde enquanto soprava um ventinho meio frio.


Encontrei o Maneca e o Flavio na BR-101. Até pensei que o Flavio resolveu fazer surpresa e iria com a gente, mas o objetivo dele era fazer uma visita ao nosso amigo Fabiano.


Ficamos em cima do viaduto esperando pelo Cabelo e Cassiba que para variar estava atrasado. Alguns minutos de espera e conseguimos reunir cinco Cães Sarnentos, algo que não acontecia há algum tempo.


O Maneca e o Cabelo já foram na frente no ritmo frenético como de costume. Eu fui conversando com o Cassiba e o Flavio. Mas a conversa durou pouco e antes da curva do arroz fura o pneu do Cassiba e providenciamos a troca.






Nos despedimos do Flavio e fomos em busca dos nossos amigos apressadinhos. Alcançamos eles na entrada do Sítio Trentini. Eles já estavam na sombra pois ficaram muito cansados com essa puxadinha kkkkk.




Fizemos uma paradinha rápida sobre o rio Pirai e logo enfrentamos o estradão de novo na presença das arrozeiras.








Atravessamos o asfalto da BR-280 e seguimos pela localidade de Guamiranga, agora tendo a presença ilustre do Rio Itapocu.








O Cabelo estava afim de puxar mesmo nesses estradões e estava difícil acompanhar o ritmo desse carinha. Logo depois o Maneca dispara na frente tentando mostrar que ainda tinha uma perninha sobrando. Eu fiquei no meio do caminho, curtindo o lugar novo e esperando o Cabelo e o Cassiba.




Encontrei o Maneca descansando ao lado de uma antiga plantação de arroz para ele me avisar que havíamos passado pela entrada da ponte pênsil. Pô, que guia legal, avisa os pontos turísticos depois que a gente passa. Como o Cassiba conhecia a entrada ele e o Cabelo acabaram visitando o local.


Local de parada e ponto turístico escolhido pelo Maneca



Tomara que a gente não passe batido pelo Salto do Guamiranga também, acho melhor eu andar com o Cassiba kkkk.


Para a minha sorte chegamos no barzinho que fica na antiga usina no Salto do Guamiranga, conhecido também como Salto do Itapocu.


Nesse local o rio é espremido entre as pedras formando uma forte correnteza e muito volume de água.









Sentamos ali mesmo sobre as pedras, cada um tirou seu lanchinho dos bolsos e para completar o piquenique rachamos uma Coca-Cola.





É hora de partir pois alguns de nós ainda tinha compromisso a noite, então bota a bunda no selim e pedalem seus cães sarnentos.








Os guias ficaram em dúvida quanto ao trajeto de retorno, parece que a antiga estrada agora é fechada por porteiras, então fomos conferir se a balsa ainda estava em funcionamento e para a nossa sorte um senhor solitário aguardava por algum viajante para fazer a travessia.




Subimos na balsa que é movimentada pela força humana, isso mesmo, não tem motor. Através de uma alavanca e um cabo de aço esse senhor atravessa pessoas e veículos de um lado para o outro do rio.





Chegamos na outra margem e continuamos seguindo o curso do Itapocu. 





Durante o passeio vários cachorros nos perseguiram, a maioria deles vinha só para correr atrás da bicicleta, mas teve um que queria o meu sangue. Tentei afastá-lo por duas vezes, inclusive passando por poças de água para ver se ele desistia. Mas acabei me desequilibrando e para não cair apoiei o joelho no chão. Só assim o maldito foi embora.




Chegamos na BR-101 e seguimos na contra mão até o pedágio.





Aqui o bagulho flui e novamente o Cabelo e o Maneca dispararam na frente. Eu fiquei acompanhando o Cassiba que estava esgotado devido aos vários treinos que ele fez durante a semana.



Paramos no posto Maiochi, nos hidratamos e comemos alguma coisa. Instalamos as lanternas pois já era noite e fomos ao encontro dos nossos amigos que já deviam estar sentido a nossa falta.




Encontramos os desgarrados passando frio na entrada do bairro Floresta. Conversamos um pouco, registramos com fotos e nos despedimos do Maneca.




Logo em seguida me despedi do Cabelo e do Cassiba e precisava chegar em casa para um bom banho e ainda sair para um aniversário. Ai ai, não é fácil essa vida de cicloturista. É uma região muito bonita e conheci lugares que fizeram história. Quero agradecer pelo convite e pelo belo passeio na melhor companhia. Maneca, Cabelo e Cassiba: vocês são monstros, espero um dia poder juntar a turma toda. Muito obrigado e abraços a todos.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava: