Páginas

domingo, 28 de dezembro de 2014

28/12/2014 - Mirante da Serra Dona Francisca

Para não deixar a preguiça tomar conta, resolvemos fazer um pedalzinho regenerativo depois da caminhada de ontem. Fomos trocando ideias e decidimos ir para a serra Dona Francisca. Marcamos de nos encontrar no início da SC-418 ás 14:00 hs como de costume.


O dia estava muito quente e abafado, já chovia em algumas regiões mas para onde a gente ia só tinha sol. Cheguei no local combinado com 8 minutos de antecedência e ás 14:00 hs em ponto chegou o Maneca. Já deu para perceber que ele estava adorando isso tudo. Sentamos um pouco á sombra do ponto de ônibus pensando no que a gente estava fazendo.




Saímos em um ritmo tranquilo mas logo depois chegamos na velocidade de cruzeiro acima dos 30 km/h. Eu estava bem cansado mas não sentia dores nas pernas, o Maneca parecia que estava mais acabadinho. Tentei diminuir um pouco o ritmo para ver se ele vinha na roda, mas deixei ele no ritmo dele e eu tentei subir a serra daquele jeito que a gente gosta: com a faca nos dentes rsss.


Consegui manter uma boa média nos primeiros dois quilômetros, mas logo a falta de preparo físico e o forte calor contribuíram para eu ser obrigado a diminuir o ritmo. Então resolvi "curtir" a subida.


Precisei fazer uma paradinha de emergência na placa dos 500 m mas logo botei o pedal na estrada novamente. Cheguei no mirante com o tempo de 33 minutos. Por sorte a água da bica voltou e tinha uma barraquinha de caldo de cana que não deu para negar um copo dessa bebida bem geladinha.



Tirei mais algumas fotos e fiquei esperando o Maneca. O sol fritava a cabeça e procurei uma sombra para me abrigar. Essa sombra da bica da curva foi bem vinda pois a água escorria pelas folhas e galhos e simulava uma chuvinha bem refrescante.



Comecei a ficar preocupado com o nanico e desci, pensei que talvez ele estivesse esperando lá em baixo ou quem sabe precisasse da minha ajuda. Pouco depois da placa de 500 m encontrei ele, girando bem devagarzinho. Então dei meia volta e segui com ele até o mirante novamente, fazendo algumas paradas nas sombras.


O mirante estava bem movimentado nesse domingo. Tiramos algumas fotos e enchemos as garrafinhas com água fresca. Combinamos de descer e tomar um caldo de cana na barraquinha mais abaixo que fica no meio das hortênsias. Falando em hortênsias, na estrada Rio do Júlio tem milhares delas, quem sabe ainda rola um pedal para lá.




Depois do caldo de cana continuamos a nossa descida. O papo que tivemos antes, de ir em algum outro lugar foi esquecido, e a gente só queria chegar em casa, afinal estava se formando uma tempestade daquelas. Na rua XV de Novembro me despedi do Maneca e segui rumo a minha casa. Ainda cheguei a pegar alguns pingos de chuva mas o pior estava pro lado do Maneca. Tomara que ele tenha chegado bem em casa.


Maneca, obrigado pelo convite, passeio, caldo de cana e principalmente pela companhia. Até o próximo passeio ligth. Abraço a todos.

Confira minha pedalada no Garmin:


Confira minha pedalada no Strava:

sábado, 27 de dezembro de 2014

27/12/2014 - Caminhada - Retorno do Quiriri

Hoje fui convidado pelo Maneca para participar de mais uma de suas ideias geniais. O objetivo era sair da ponte coberta do Quiriri e caminhar até o terminal de ônibus no centro de Joinville. O Cassiba também foi convidado e ás 5:00 hs o Cabelo e a Talita já estavam passando na casa de cada um para nos levar até o ponto de partida. Acho que eles ainda estavam de pijama pois não quiseram sair do carro para tirar foto.




Nem precisamos de lanternas para iniciar essa trip pois o dia já estava amanhecendo. Ás 6:15 hs começamos oficialmente nossa caminhada.





A previsão de chuva não se confirmou. Da onde estávamos era possível avistar uma cachoeira com um bom volume d'água.






A caminhada continuou num ritmo forte com poucas paradas. Quem parava precisava recuperar o tempo perdido depois.








Para chegar na rodovia até que não demorou tanto. A empolgação nesse início de caminhada e as brincadeiras faziam a gente esquecer a distância que ainda faltava.








Daqui em diante o trajeto é praticamente todo no asfalto. Até deu vontade de fazer umas paradinhas extras nas pastelarias da região, mas a única parada programada era na praça de Pirabeiraba.






















Passamos ao lado do Morro do Tromba, mais um lugar que preciso conhecer. Nesse momento as pernas já demonstravam os primeiros sinais de cansaço e os dedos dos pés começaram a entrar em atrito.



Estrada do Pico

Morro do Tromba

Casa Krüger
Ás 8:50 hs chegamos em Pirabeiraba para o nosso lanche. Até aqui foram 15,8 km.





As pessoas nos olhavam com desconfiança. Acho que não estão acostumados verem muitas pessoas fazendo isso. Continuamos nossa caminhada ainda pela rua Dona Francisca.









Eu já estava bem cansado. Cogitei em ficar no terminal norte, mas meu pedido foi negado. Então o jeito foi acompanhar esses carinhas até o terminal do centro.





Morro do Boa Vista



Se antes as pessoas já estavam assustadas com a gente, imagina no centro da cidade. Três malucos cheios de coisas penduradas e suados.




Enfim chegamos no nosso objetivo. Depois de 30,2 km em aproximadamente 5:20 hs. Já dava para sentir as bolhas nos pés. Eu e o Cassiba fomos tomar um caldo de cana para tirar a poeira da garganta. O Maneca, apressado como sempre, já foi indo embora. Mas antes teve que fazer um cursinho básico de como andar de ônibus na cidade.


Muito obrigado Maneca e Cassiba pelo convite e ao Cabelo e Talita pelo apoio. Acho que hoje foi só um treino para um objetivo maior. Vamos esperar para ver. Até a próxima.

Confira minha caminhada no Garmin:


Confira minha caminhada no Strava: