Páginas

domingo, 30 de novembro de 2014

30/11/2014 - 8º Desafio Márcio May

Mais um ano se passou e aqui estou eu de novo indo para Rio do Sul para a minha terceira participação no evento Desafio Márcio May de Ciclismo de Estrada e Mountain Bike. Eu e a Josi saímos no sábado de manhã e enfrentamos muito congestionamento na SC-108 e BR-470. Chegamos em Rio do Sul era quase meio dia e fomos direto para a casa da Dona Tereza, mãe do Pelinha. Fomos convidados para saborear a deliciosa macarronada que há anos é tradição dos almoços de sábado. Assim que terminamos de almoçar chegou o Fabinho e sua esposa Maraceli. Depois de alimentados fomos pegar nossos kits no Parque Harry Hobus que fica a menos de um quilômetro da casa da Dona Tereza.



Já com os kits em mãos, fomos para a casa do Alexandre e da Simone, cunhado e irmã do Pelinha. Saímos para comprar uma carne, salada e alguns pães para assar um churrasco. A noite chegou e a vista era privilegiada. A iluminação da Catedral se destacava em meio ás outras luzes.



Hora do rango.


Fomos dormir cedo pois no domingo teríamos que enfrentar 60 km de asfalto. Durante a noite choveu, o dia amanheceu nublado e ainda tinha alguns chuviscos. As 6:30 hs tomamos café da manhã e o Fabinho acordou a casa toda para fazer a sua vitamina de banana no liquidificador.

Fabinho e seu kit para a prova.
Saímos pedalando dali mesmo, pois o local de largada era bem próximo.


Chegamos no local da largada e ficamos observando um pouco o movimento. Quando vimos que o pessoal começou a se alinhar a gente foi também. Mas dei bobeira e ficamos esperando muito longe. Não demorou muito para a muvuca começar e acabamos ficando na rabeira da categoria.




Antes da largada veio o tradicional friozinho na barriga mas sem esquecer de manter o foco principal que é melhorar o meu tempo e não me machucar. Depois que o pessoal do ciclismo largou foi a nossa vez. Dada a largada ficamos esperando por vários segundos a fila começar a andar para poder fazer a nossa largada. Muitos ciclistas que iriam fazer a prova dos 45 km estavam infiltrados no meio da nossa categoria o que dificultou bastante a nossa passagem na hora da largada.


Depois socamos a bota na tentativa de alcançar o pelotão principal. Na reta oposta o Fabinho me alcançou e imprimimos um ritmo forte. Mas eu não estava conseguindo acompanhar e acabei ficando para trás. Segui com um segundo pelotão e na serra começou a chover. Consegui abrir um pouco do pelotão que eu estava e alcancei o Fabinho.

Foto: TrilhasBR

Subimos o restante da serrinha, que é bem puxada. Fizemos o retorno e fomos cautelosos na descida, pois além da chuva tinha pó de brita sobre a pista.

Foto: TrilhasBR

Já no terreno plano se formou um pelotão de oito ciclistas onde eu e o Fabinho ficamos puxando boa parte. Ás vezes alguém tentava puxar, mas durava alguns metros e logo o Fabinho tava na ponta de novo.

Foto: TrilhasBR

Devido a um incêndio em um supermercado, um trecho da prova teve que ser modificado e pegamos uma rua de paralelepípedos. Foi quando senti caimbras na minha panturrilha, perdi a força na perna direita e o pelotão também. Segui sozinho até um ciclista me alcançar a dois quilômetros da chegada. Colei na roda dele e no sprint consegui fazer a ultrapassagem poucos metros antes da chegada.

Chegada do Fabinho.
Eu chegando no embalo.
Fiquei desapontado com o meu resultado, já que a cada ano meu tempo está ficando pior. Esse ano terminei em 20º lugar na categoria, com o tempo de 2:03:28 hs, e 30 segundos atrás do Fabinho.






O Pelinha chegou meia hora depois. Deve ter parado na serra para um pipi-stop como no ano passado.


Mesmo com o péssimo resultado da prova, fiquei feliz pelo passeio com a esposa e com os amigos.

Gilson Kassulke também estava participando do evento.
Agora sim, os três Cães Sarnentos
Secando as coisas.

Voltamos para casa, tomamos um banho e fomos almoçar em uma churrascaria. Depois nos despedimos e pegamos a estrada de volta para nossos lares.



Muito obrigado ao Pelinha por ter conseguido pousada para nós, à Dona Tereza, Simone e Alexandre que nos hospedaram e fizeram a gente se sentir em casa. Tomara que a gente tenha se comportado direitinho pois pretendemos voltar em 2015. Abraço.

Confira minha pedalada no Garmin:

Confira minha pedalada no Strava:

domingo, 23 de novembro de 2014

23/11/2014 - Pedal dos Cães Sarnentos

Depois de um evento cancelado no sábado o jeito foi voltar para casa e esperar a chuva passar. Estava programado para fazermos uma travessia com caiaques da Vigorelli até São Francisco do Sul, mas devido às condições climáticas desistimos dessa ideia. Mesmo sob muita chuva eu já estava a caminho quando recebi a ligação do Maneca dizendo: "aborta ha ha ha".

Rodovia do arroz, sábado 2:30 hs da manhã



Quem gostou muito disso foi a Josi que aproveitou e "me levou" para fazer compras e depois ajudei nas tarefas domésticas (tô ficando craque na instalação de cortinas rsss). No final da tarde recebi o convite para participar de um pedalzinho até a serra Dona Francisca na manhã de domingo. Claro que eu só estava aguardando um convite desses e topei na hora. O ponto de encontro foi o mesmo de sempre, mas cheguei lá exatamente no horário e não havia ninguém.



O dia estava nublado mas muito abafado. Aguardei um pouco e logo apareceu o Jean, fazia tempo que a gente não se via e quase não o reconheci. Acho que tá treinando escondido.


Para não perder o costume o Cassiba se atrasou, mas acho que dessa vez a culpa foi do Pelinha.


Chega de papo porque já estamos atrasados. Sentem no selim e pedalem seus cães sarnentos.




O ritmo foi forte, claro com o Cassiba puxando não tem outra opção. Não demorou muito para fazermos a tradicional paradinha na ponte para descansar um pouco e zerar os cronômetros.


Na saída resolvi puxar forte na tentativa de baixar meu tempo de subida, mas logo no primeiro quilômetro senti que não ia dar, minhas pernas começaram a doer um pouco e resolvi não forçar muito. Mesmo assim cheguei com o tempo de 27:18 minutos.



Encontramos dois ciclistas que também estavam pedalando por lá e conversamos um pouco. Eles iam até Campo Alegre. Infelizmente não vou lembrar os nomes deles agora mas é pessoal conhecido que participa dos pedais da região.





Quando estávamos saindo, mais um ciclista conhecido do Cassiba e do Jean chegou.


Como a bica lá de cima estava seca tivemos que abastecer as garrafinhas do outro lado da rodovia um pouco abaixo do mirante (acho que as lesmas cortaram o fornecimento de água).


Depois da rápida descida resolvemos dar uma voltinha pela estrada do Oeste e estrada da Ilha. Pegamos uma garoa o que foi muito bom para amenizar o calor. Me despedi do pessoal de longe pois alguns já estavam mais a frente.


Obrigado Cassiba, Pelinha e Jean pela parceria. Próximo final de semana tem o 8º Desafio Márcio May e eu pretendo estar lá. Abraço.

Confira minha pedalada no Garmin:


Confira minha pedalada no Strava: