Páginas

sábado, 25 de outubro de 2014

25/10/2014 - 28º Encontro Canoa Ecológica

Concluídos os compromissos da série Audax desse ano, resolvemos variar um pouco a modalidade. Pela primeira vez fui participar do encontro anual promovido pelo Clube de Canoagem Kentucky de Jaraguá do Sul. O evento reúne bastante canoístas da região. Para não correr o risco de ficar sem um duck liguei para o Sidoca para pegar o duck duplo dele emprestado e também todos os equipamentos necessários como coletes e remos. Ele me avisou que o mesmo estava com um pequeno furo no compartimento central e que talvez era necessário enchê-lo a cada parada. Tudo bem, aventura é com a gente mesmo. Passei na casa do Cabelo que estava visitando Joinville e fomos até a casa do Maneca. Embarcamos no carro do Maneca, que chamo carinhosamente de Sapo Preto, e seguimos rumo a Jaraguá do Sul.


Dos últimos anos para cá essa maratona sofreu várias alterações, principalmente se tratando do percurso e da distância remada. Hoje seriam 22 km descendo o rio Itapocu de Corupá até a sede do clube em Jaraguá do Sul. Bem diferente de anos anteriores onde a maratona percorria 60 km e levava um dia inteiro.


Por R$ 25,00 teríamos direito a participar do evento, translado, água, frutas, camiseta, adesivo, troféu e no final um delicioso risoto com salada. Chegamos no Kentucky e o Maneca já foi cumprimentado o pessoal conhecido. Também encontramos o Moacir com a família, o melhor canoísta de Joinville e um dos melhores da região.


Ouvimos as orientações e embarcamos no ônibus rumo a Corupá. Ao todo 94 canoístas se inscreveram para o evento.



Em Corupá tiramos nosso duck do bagageiro do ônibus e começamos a fazer força para enchê-lo. Notamos que o pequeno furo que o Sidoca citou não era tão pequeno assim mas tudo bem, colocamos os caiaques na água.


Maneca inaugurando o caiaque novo.




Enquanto a gente ouvia as últimas orientações percebemos que estava entrando muita água no nosso duck, isso tornaria a remada praticamente impossível. Foi quando notei que haviam três ducks na margem prontinhos para serem usados em caso de emergência. Falei com um dos organizadores e conseguimos trocar o nosso duck por um sem furos.





Então corremos, quer dizer, remamos atrás do prejuízo pois perdemos muito tempo nessa troca e o pessoal já se mandou. No início o Cabelo foi na frente e eu fiquei com a responsabilidade de fazer o leme. Sem muita experiência ficamos em zig-zag e na primeira corredeira conseguimos virar o bote.





Embarcamos de novo no bote e trocamos as posições.




O calor estava intenso e depois de mais uma corredeira o Cabelo virou o bote de propósito só para se refrescar um pouco.


Continuamos costurando o rio. Sem muita prática a gente ia se atravessando e empurrando o pessoal. Fizemos uma parada para descansar um pouco, repor as energias e reforçar o filtro solar.




Bronzeado de ciclista.




Depois dessa parada o Maneca queria remar um pouco com o Cabelo e eu também queria testar o caiaque novo dele. Achei muito instável no início, mas é bem leve e rápido para remar. Claro que virei várias vezes, mas voltei.









Momentos depois o Maneca abandonou o Cabelo, pulou para fora do duck como um sapo e se agarrou no caiaque que eu estava, deixando ele mais instável ainda.


Tem dois dias pra sair daí seu nanico.

Chegamos na ponte do bairro Nereu Ramos onde tem mais uma corredeira bem danada. Eu até tentei usar algumas técnicas que eu havia aprendido mas não teve jeito, tomei mais um banho.


Aqui é metade do caminho, fizemos mais uma parada para reagrupar e descansar.





Moacir e família.

 Na saída trocamos novamente nossos equipamentos e voltei para o duck, apesar de mais pesado para remar é mais estável para os canoístas menos experientes e ainda tem o Cabelo que remava sozinho se precisasse kkkk.





Nosso passeio continuou, agora com um forte vento contra. Como não tinha pressa para chegar a gente continuava se divertindo e curtindo a paisagem.


Assim tá errado, eu preciso te ensinar tudo?


Mas no finalzinho bateu aquela vontade de chegar rápido. Afinal já estávamos remando a cinco horas e bateu a fome. Fizemos a última parada para reagrupar na SAMAE e seguimos para o clube.




Guardamos nosso equipamento e colocamos roupas secas.


Logo voltamos para saborear o delicioso risoto. Comemos um "pouquinho" e depois repetimos.


Assim foi mais um final de semana diferente, divertido e o mais importante, na companhia dos amigos. Muito obrigado pelo convite Maneca e pela parceria do Cabelo. Até a próxima.




Abaixo um vídeo feito pelo Cabelo resumindo nossa aventura:


Abraços.