Páginas

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

18/11/2013 - Expedição Serra & Mar - Conclusão

Apesar de toda a correria e contratempos, deu tudo certo. Foram quilômetros de força, ansiedade, diversão e cansaço. Poucas coisas saíram como o esperado, mas ao menos a gente tinha os objetivos traçados e tentava cumpri-los. Foram meses de planejamento, reuniões e contatos. Muitas pessoas são responsáveis pela conclusão dessa nossa expedição. Quero deixar registrado aqui o profundo agradecimento a essas pessoas:

Josiane Prussek Brüning (minha esposa): apesar de não gostar muito disso que eu faço, pelo menos ela não é contra.
Inácio Brüning (meu pai): além de patrocinador também conseguiu muitos outros patrocinadores;
Robson Brüning (meu irmão): redesenhou a maioria das artes (logotipos) dos patrocinadores e criou algumas;
Manoel Acácio Behnke Júnior (Maneca): se fez de difícil mas resolveu embarcar nessa;
Deivi Ivan Schiochet (Cabelo): apesar dos contratempos foi nos encontrar e viajou de madrugada;
Talita (Cabela): além de patrocinadora fez o melhor apoio que a gente poderia ter;
Luís Cassiano dos Santos (Cassiba): convidado para essa expedição, foi nos encontrar na estrada para nos acompanhar e dar aquela força nos últimos 80 km dessa aventura;
Bernardo Schlickmann e Alba Schlickmann (meus tios): cederam a casa de campo deles por uma noite, e também a janta, o café da manhã...;
Aos amigos que deram aquela força e também alguns brindes para usarmos na expedição;
A Deus, anjo da guarda, santo, fé ou força interior que nos protegeu e guiou nessas estradas;
A todos os patrocinadores, sem eles provavelmente essa ideia ainda estaria no papel:


Bike & Adventure
Apiários Sol do Oriente
Physical Woman
Clube Esportivo Kavo
Mantac
Inplavel
Meditec
Horti Fruti João Colin
Bitentec
Banana Brasil
Mi Usinagem
Lycri Malhas
O2 Bike Fit
Família Behnke

E claro a todos os leitores do blog, graças a quantidade de visualizações (que nem são tantas assim) tive argumento para negociar com os patrocinadores. Muito obrigado.


domingo, 17 de novembro de 2013

17/11/2013 - 4º Dia Expedição Serra & Mar - de Tijucas a Joinville

Essa noite dormimos bastante. Acordamos pelas 6:20 hs e ás 7:00 hs a gente já estava na mesa do café da manhã.


O clima estava bom, o mesmo de ontem, com aquele vento amigo. No playground a alegria continuava, agora com muito entusiasmo e ansiedade para chegar no nosso destino.





Porto Belo estava do lado e logo depois Itapema.



Em Itapema vimos várias placas orientando o trânsito sobre um evento ciclístico logo á frente, inclusive no painel eletrônico.



Ficamos curiosos para saber do que se tratava e logo depois da polícia rodoviária federal alguns cones já delimitavam a pista para os ciclistas. Como era o único lugar para a gente passar, nos metemos no meio da corrida tentando não atrapalhar os competidores.


No túnel do Morro do Boi a prova continuava.




Saímos do túnel e da corrida maluca e assim que avistamos a cidade de Balneário Camboriú a emoção tomou conta do Maneca. Ele olhou para mim e disse: "Jefo, eu vou conseguir". Isso era óbvio, a questão é que a gente começa a pensar em concluir um desafio, rever a família e nessas horas passa um filme rápido nas nossas cabeças relembrando de tudo o que passamos nesses quatro dias longe de casa. Mas logo a animação voltou quando vimos o Cassiba esperando a gente em uma das saídas do balneário.




Nem paramos para conversar direito, o Cassiba estava com sangue nos olhos e ditou um ritmo forte que não conseguimos acompanhar, afinal já tínhamos rodado mais de 700 km. Isso durou pouco pois um furo no pneu fez o Cassiba parar.



Em Itajaí o trânsito dos carros começava a ficar lento devido ao retorno do feriadão.




Em Navegantes a Talita já nos aguardava com pastéis e caldo-de-cana. Esse é o melhor apoio do mundo, como diz o Maneca.


Aproveitamos também para consertar mais um pneu furado, agora do Maneca.




Seguimos nosso pedal passando por Penha e Balneário Piçarras. Antes de chegar em Barra Velha, mais um pneu furado, adivinha de quem?

Equipe dando aquela foça...
No último dia furou mais pneus do que nos três dias juntos. Mas isso não nos desanimou, pelo contrário a gente voltava a pedalar mais rápido ainda para tentar recuperar o tempo perdido.


O Cassiba estava nos aguardando em Barra Velha, aqui é "caminho da roça" é o treininho semanal do Maneca e do Cabelo, eu também já fui algumas vezes.



Em Araquari o pneu do Cabelo furou e o selante não estava dando conta de conter o vazamento. Ele ia fazendo paradas rápidas para encher o pneu e seguir até o posto de combustível localizado após o viaduto da BR-280. Talvez com uma pressão maior de ar o selante seria mais eficiente. Chegamos no posto e o nosso apoio estava nos aguardando com água e isotônicos. Aproveitamos para fazer mais um lanchinho.



Chegamos na divisa entre Araquari e Joinville, agora estamos perto, restava pedalar até a Expoville. Oh trechinho longo.


O pneu do Cabelo continuava vazando mas ele não queria trocar a câmara, então a cada dois ou três quilômetros a Talita ficava nos esperando para calibrar o pneu.


Foram os 5 km mais longos que já pedalei.


Nessas horas a gente não tinha nem assunto para conversar, estava todo mundo ansioso. Ao avistar o pórtico de entrada da cidade fiquei sem ação. Não sabia se me jogava no gramado, se abraçava todo mundo ou se chorava. Me contive.




Foi uma grande aventura, admito que um pouco irresponsável e muito exigente. Mas como diz o Maneca: "se fosse para ser fácil eu nem vinha". Assim encerramos a Expedição Serra & Mar. No próximo post faço os agradecimentos a todos de colaboraram de alguma forma para essa expedição acontecer. Para os leitores agradeço desde já, espero que tenham gostado de ler e ver as fotos dessa maluquice.


Abusamos do apoio, ninguém queria pedalar mais hoje.


Resumo do dia:

Distância: 126,66 km
Tempo: 6:46:57 hs
Velocidade média: 18,7 km/h
Velocidade máxima: 65,1 km/h
Altitude máxima: 113 m
Altimetria acumulada: 1315 m
Temperatura mínima: 20° C
Temperatura máxima: 28,5 ° C

sábado, 16 de novembro de 2013

16/11/2013 - 3º Dia Expedição Serra & Mar - de São Ludgero a Tijucas

Apesar do calor do início da noite, na madrugada até deu para puxar uma cobertinha. Dormimos todos em um quarto. Acordei com o barulho do Maneca enfiando o dedo no ventilador. Os patos e gansos já faziam barulho na água do açude que ficava embaixo da nossa janela. A minha tia já tinha colocado o café da manhã na mesa, muitos pães, docinhos e cuca. Começamos a arrumar as coisas e logo chegou o Hamilton para dar aquela força e se despedir.


Mais uma vez esqueci de tirar fotos com meus tios e primos, não sei onde estava com a cabeça, acho que fiquei muito preocupado querendo que as coisas dessem certo.



Pegamos um trechinho de estrada de chão mas logo a gente já estava na rodovia para seguir rumo á Braço do Norte. Entramos um pouco na cidade para conhecer a loja do nosso patrocinador Bike & Adventure. Chegando lá fomos recepcionados pelo Sr. Dálcio, muito simpático, fez questão de nos mostrar toda a estrutura da loja, inclusive o estoque e o estúdio próprio. A loja conta com vários funcionários e diversos produtos a pronta entrega.



Ainda ganhamos um creme anti-atrito e partimos para o nosso destino. Perto de Termas do Gravatal ameaçou uma chuva que não se confirmou, foram apenas alguns pingos. Subimos uma serrinha leve e não demorou muito para chegarmos em Gravatal.




De Gravatal até Tubarão foi rápido, já era possível avistar a BR-101. Eu dizia pro Maneca: "Chegamos no playground". E ele dizia: "Não me engana Jefo, fala a verdade". Quando chegamos na BR-101 foi uma alegria só. O pedal fluiu bem e manter os 35 km/h não era muito difícil. Em Capivari de Baixo passamos pelo complexo termelétrico Jorge Lacerda.


O pedal estava rendendo, a felicidade era visível nas nossas faces. Até que enfim um trecho sem muitas subidas. Logo chegamos no Canal Laranjeiras onde esta sendo construída a ponte Anita Garibaldi, obra necessária para a duplicação da BR-101.




Aqui o pedal não rendeu muito, a ponte de Cabeçuda não tem acostamento e é muito estreita, o jeito foi colocar a bike nas pedras e empurrar.







Após o trevo de acesso á Laguna o pedal continuou rendendo, com um vento a favor a tocada era boa até furar um pneu da bike do Maneca.



O Maneca fez a troca muito rápido e partimos para Imbituba fazer o nosso almoço, como o pedal estava rendendo bem decidimos não parar para fazer lanche.



Chegamos no restaurante e antes de entrar li o que estava escrito na porta e fiquei na dúvida. Será que traje de ciclista é traje indecente? Bem o máximo que vai acontecer é um convite para nos retirarmos.


Fomos muito bem atendidos, foi prático e rápido. Não demorou muito e nosso almoço já estava sobre a mesa e por um preço acessível. Gostei bastante desse lugar.


Depois fomos pegar água gelada no posto e antes de partir o Maneca e o Cabelo resolveram dar uma lubrificada na corrente.


Depois do almoço o rendimento "pesou" um pouco, mas logo depois tudo voltou ao normal. O Maneca estava ansioso para atravessar logo Paulo Lopes pois ele queria muito conhecer o tão comentado Morro dos Cavalos.








Chegamos no Morro dos Cavalos, o problema aqui não é só o morro e sim a falta de acostamento e as finas dos caminhões.


Logo depois vem a descida e é possível avistar a cidade de Palhoça e a Pedra Branca.




Depois de Palhoça passamos por São José e em Biguaçu paramos para fazer um lanche.





A Cabela foi na frente já adiantar o check-in no hotel e preparar as coisas. Ela pensava que a gente ia chegar por volta das 19:30 hs, mas como eu falei esse trecho da BR-101 rendeu bastante com a ajuda do vento e ás 18:50 hs chegamos em Tijucas pela primeira vez sem precisar ligar as lanternas.


O quarto era amplo e tinha espaço de sobra para as bikes, ali tomamos um banho bem sossegados, ligamos a tv e falamos com nossos familiares.



Devolve o chinelo da Cabela

Eu e o Maneca esquecemos nossos chinelos lá na Toca dos Tigres, o jeito foi ir descalço até uma lanchonete e voltar logo para dormir.



Resumo do dia:

Distância: 214,76 km
Tempo: 10:51:20 hs
Velocidade média: 19,8 km/h
Velocidade máxima: 57,4 km/h
Altitude máxima: 132 m
Altimetria acumulada: 1721 m
Temperatura mínima: 17,8° C
Temperatura máxima: 36,6 ° C