Páginas

domingo, 30 de setembro de 2012

30/09/2012 - SESI - Corrida e Caminhada Projeto Seja Ativo

Bem, esse foi um final de semana bem atípico. Pensei em fazer alguma aventura no sábado mas meu professor da facul já me deu nos dedos, marcando uma prova para sábado ás 15:00 hs. Valeu profe. Fiquei a manhã toda estudando e a tarde fui fazer a prova, ou seja, o sábado já era. Me restava o domingo para fazer alguma atividade. Então a minha esposa falou que iria ter uma corrida e caminhada na Vigorelli promovida pelo projeto Seja Ativo do SESI. Resolvi ir até lá para prestigiar o evento que contava com a participação dos instrutores do SESI e os funcionários que trabalham nas empresas atendidas pelo programa Ginástica na Empresa.
Chegamos no local do evento e o tempo era de incertezas, pois ás vezes a chuva ameaçava engrossar, ás vezes o sol queria permanecer ali. Aos poucos foram chegando os ônibus trazendo o pessoal. Quando pensei em começar a registrar os fatos, percebi que havia esquecido a câmera fotográfica em casa. É, essa semana eu to meio "avoado" mesmo, talvez pela mudança repentina na minha vida profissional. Ainda to pensando o que vou fazer na próxima semana para ganhar dinheiro, mas acredito que com o tempo o caminho correto me será apresentado.
Peguei o adesivo do evento e começamos a fazer um alongamento ao som das "Coraçãozetes" que animaram o pessoal.
Participei da corrida de 5 km e quando percebi esqueci também meu relógio para registrar o tempo. Que legal eu já estava começando a ficar frustrado comigo mesmo. Mas deixa pra lá, vamos correr e depois sei que vou me sentir bem melhor.
Foi dada a largada e saímos da Vigorelli sentido aeroporto por 2,5 km e depois voltamos. Não havia chip, não havia colocação e neim premiação, o objetivo era fazer alguma atividade física. Ao final da corrida perguntei o tempo para um corredor que chegou um pouco na minha frente, então estimei que eu devo ter feito os 5 km em 00:21:35, mais ou menos. Minha esposa participou da caminhada e ela gostou bastante. Quem sabe vou ter companhia para as próximas corridas.
Ao final da corrida teve mais alongamento e sorteio de camisetas.
Desculpem por não ter mais fotos, mas acho que vou conseguir algumas durante a semana então eu coloco aqui. Por enquanto assistam as "coraçãozetes". Abraço.

domingo, 23 de setembro de 2012

23/09/2012 - Circuito SESC de Caminhadas e Corridas

Há tempo estava doido para participar de uma corridinha. Na semana passada foi realizada a corrida da IOT, mas devido a grande aventura que participei para Nova Trento no sábado, não fui correr no domingo, até porque minhas pernas estavam de molho numa banheira de gelo. Deixei para matar a vontade da corrida hoje, em um circuito organizado pelo SESC. Acordei cedo e cheguei no SESC quarenta minutos antes da largada. Usei a camiseta do evento e comecei a me aquecer.
Haviam muitas pessoas que foram assistir a gente de língua de fora, além de vários competidores nas categorias: infantil, juvenil, masculino, feminino, portadores de necessidades especiais e equipes de revezamento. Um evento muito bem organizado e sinalizado.

Os auto-falantes pediram para os competidores se posicionarem atrás da linha, primeiro saiu o pessoal da caminhada e o cadeirante, logo depois foi dada a largada para a corrida de 5 km e 10 km. O circuito era de 5 km no qual eu precisaria dar duas voltas.
 Antes da largada olhei o pessoal por cima e tentei encontrar meu amigo Maneca, sem sucesso. Acho difícil ele ter ficado na cama dormindo, pois ele falou que já tinha feito a inscrição e eventos desse tipo ele não costuma perder. Bem, depois eu acho ele, agora é hora da largada, ótima oportunidade para eu testar meu novo brinquedinho "made in China" que achei muito bom, mas não vale nada.
Corremos num circuito cheio de voltas e firulas, com trechos de estrada de chão, calçamento e asfalto, mais um trekking?...pensei. Agora só falta chover. É mas não choveu, pelo contrário, o sol deixou a timidez de lado e resolveu permanecer forte durante toda a corrida. Depois que os adultos passaram pela rua Itaiópolis, foi a vez das crianças encararem o espírito esportivo.
Fiz a primeira volta com 21 minutos e uns quebrados, teria que manter esse ritmo para eu quebrar meu próprio recorde de 10 km, e quando estava passando pelo funil de chegada ouvi um apito familiar, era o Cavalo Doido do Deivi que chegou não para correr, mas pra ver eu e o Maneca pedindo água embaixo daquele sol.
Um pouco antes disso, esse atleta guerreiro e determinado, completou a prova de 5 km na cadeira de rodas. Infelizmente não lembro no nome dele. Isso que é atitude, parabéns.
Completei os 10 km e não consegui fazer meu melhor tempo, mas fiquei na casa dos 44 minutos terminando a prova com o tempo líquido de 00:44:55. Conquistando assim o 31º lugar no geral masculino e 9º lugar na categoria 30-34 (sei que aparento ser mais jovem mas tenho que correr nessa categoria he he). Depois disso me hidratei e fui pegar algumas frutas.
Dai eu encontrei o Maneca e o Deivi e depois chegou o Cassiba. Pô tem alguns que só vem pra passear mesmo né. 
Foto: Deivi Schiochet
Foto: Deivi Schiochet
Assim que o Cassiba chegou já começamos a cobrar dele o relato da pedalada para Madre Paulina do blog Natividade Aventuras Joinville que ainda não foi postado, mas segundo ele está sob a revisão do editor chefe. Ai ai ai "Cãossimba".
Foto: Deivi Schiochet
Ele também comentou que vai começar a pedalar de sunga, junto com o Deivi pois segundo eles esse negócio de pedalar de bermuda tá prejudicando o bronzeado para o verão.
Foto: Deivi Schiochet
E assim terminou mais um final de semana de atividades e risadas com os amigos aventureiros.

domingo, 16 de setembro de 2012

15/09/2012 - Santuário Madre Paulina em Nova Trento - SC

Esse foi um final de semana de uma grande aventura. Tive a honra de ser convidado pelo Maneca do blog Natividade Aventuras Joinville para participar do último grande desafio de bike do ano. Participaram também o Cassiba, companheiro sempre presente nas aventuras do Maneca e o Deivi, mais conhecido como Cabelo ou Cavalo Doido do blog Diário de Ciclista. Na quinta-feira anterior ao desafio fui até a casa do Maneca para combinar os últimos detalhes. Então marcamos para sair no sábado ás 4:00 hs da casa do Maneca que fica próximo a BR-101. Chegou o grande dia e como eu moro do outro lado da cidade tive que acordar ás 2:15 hs e saí de casa ás 3:15 hs chegando na casa do Maneca pouco antes das 4:00 hs conforme combinado.
O Cassiba já estava ligado e doido para começar a trip. O Deivi ainda não tinha chegado e logo pensamos que ele poderia estar esperando no viaduto da BR-101. Quando chegamos no viaduto ele estava lá fazendo barulho com um apito.
Foto: Deivi Schiochet
Pegamos a BR-101 sentido sul e logo percebi que acompanhar os caras ia ser outro desafio. Ditaram um ritmo forte que no início consegui acompanhar bem.
A nossa pedalada noturna foi assim, eu ainda estava conhecendo o pessoal, então contamos histórias, piadas e ficamos conversando sobre outras aventuras também.
Continuamos pedalando num ritmo forte observando no restinho da noite o céu estrelado, sinal que o dia seria de sol forte. Passamos pelo pedágio de Araquari e em poucos minutos passamos por Barra Velha.

O embalo estava bom e a média de velocidade só subindo, quando estava passando por Piçarras um imprevisto fez a gente antecipar nossa primeira parada. O pneu traseiro da minha bicicleta encontrou uma haste de rebite no chão que atravessou o pneu e a câmara em dois lugares. Tentamos fazer um remendo mas não foi possível devido aos dois furos da câmara. Coloquei uma câmara nova.

Já estava amanhecendo e aproveitamos para descansar um pouco e fazer uma refeição rápida.

Foto: Deivi Schiochet
Pegamos a estrada novamente e logo o sol já aparecia no horizonte e o céu estava sem nuvens.
A felicidade era geral e contagiante, o Maneca pegando no pé do "Gacimba" ou "Cãossimba" e outros apelidos que ele inventava. Cada lugar diferente era motivo de poses e fotos.

Foto: Deivi Schiochet
Enfrentamos o trânsito de Itajaí com muitos caminhões e filas devido a reforma de uma ponte, mas esse momento tenso durou apenas alguns quilômetros.
O ritmo continuava forte e apesar de sermos apenas aventureiros e atletas amadores, pedalamos em equipe, fazendo revezamento do vácuo sempre que possível, assim cada um encara o vento um pouco enquanto os outros dão uma relaxada na perna e evitam o desgaste desnecessário, como fazem as grandes equipes do ciclismo profissional. Usando essa técnica passamos por Itajaí com 90 km rodados e média de 29,5 km/h.
Em Balneário Camboriú o Maneca e o Deivi imprimiram um ritmo mais forte que eu e o Cassiba não conseguimos acompanhar. Na verdade acho que eu que não consegui acompanhar e o Cassiba ficou para me fazer companhia. Então o Cassiba falou pra mim: "O Cavalo Doido vai querer subir o Morro do Boi então nós vamos pelo túnel para cortar caminho". Então tá né, esse "Cassimba".
Nossa pedalada continuou no mesmo ritmo mas não avistávamos mais o Maneca e o Deivi então o Cassiba começou a me questionar: "Por que a gente não veio de carro né? A gente poderia ter ido até no pastel do Rio da Prata. Por que a gente faz isso?". Daí eu respondi pra ele: "Porque é sempre bom fazer uma pedaladinha ligth". Foi um momento de descontração para esquecer um pouco o cansaço.
Próxima parada a 8 km.
Nosso destino.

No trevo de acesso a Tijucas o Maneca e o Cavalo Doido estavam esperando a gente. Pose para mais uma foto.
Paramos num posto de combustível na cidade para fazer um lanche e o Cassiba foi verificar a bicicleta, pois segundo ele a pedalada não estava rendendo porque a bike estava com o freio-de-mão puxado.

Foto: Deivi Schiochet
Foto: Deivi Schiochet
Fizemos um lanche rápido e saímos novamente rumo ao nosso destino. Depois que saímos do posto sentimos um vento lateral forte que prejudicava o rendimento do pedal. Agora era preciso atravessar a cidade e chegar em Canelinha.
Esse Deivi é sem limites mesmo, o cara tem uma disposição fora do normal. Para ele não tem reta, subida e calçamento, o ritmo é sempre o mesmo, acho que é por isso que chamam ele de Cavalo Doido. E ainda tinha vezes que ele "controlava o trânsito" com seu apito barulhento. Chegamos em São João Batista.
Mais algumas pedaladas e já estávamos em Nova Trento, agora é só achar o caminho que leva até o Santuário Madre Paulina.
Passamos pela cidade e encontramos o acesso.
No caminho avistamos várias vinícolas e grandes campos com parreiras de uva, comuns nessa região.

Chegamos em nosso destino ás 11:00 hs com 175,59 km rodados, Santuário Madre Paulina, um local muito bonito e tranquilo. Vale a pena vim um dia fazer uma prece e passear pelas redondezas, apreciar a gastronomia típica e saborear um vinho.
Fizemos algumas fotos em frente a escadaria e outras mais acima. Até que alguém deu a ideia de subir a escadaria carregando a bike nas costas.
Ainda não sei se era pra pagar alguma promessa, mas todos participaram. Então quem não precisava pagar promessa, já pagou antecipadamente caso precisar fazer alguma no futuro. Segue vídeo:
video
Lá de cima é possível avistar grandes montanhas e algumas construções, além do teleférico.
Sentamos na calçada mesmo e fizemos uma parada mais longa, esse era nosso almoço, contamos mais histórias e rimos de algumas situações que ocorreram no caminho.
Foto: Manoel Acacio Behnke Junior
Depois de alimentados, cada um de alguma forma fez pedidos e agradecimentos e para registrar a passagem uma foto com Madre Paulina.
Deixamos o Santuário Madre Paulina ao meio-dia com vontade de ficar um pouco mais, mas era preciso voltar para casa, então decidimos voltar por Brusque, um caminho mais curto mas que tem duas subidas fortes, conforme eu me recordava do Audax 200. O sol estava forte sobre nossas cabeças e agora era vento contra, comecei a ficar cansado.

Foto: Manoel Acacio Behnke Junior
Passamos por Brusque e o desafio agora era chegar na BR-101, o Cassiba e o Deivi se mandaram na frente, já o Maneca por solidariedade ficou para me acompanhar. Chegamos no "retão sem fim" da SC-486, o vento contra continuava ainda mais forte, pedalava a 20 km/h com bastante dificuldade e comecei a sentir dores. Olha só a minha cara de felicidade.
Me desgastei muito nesse trecho e quase não tinha mais forças, até que enfim avistamos a BR-101 e fizemos uma parada num posto de combustível para "completar o tanque" que já estava vazio.

Foto: Deivi Schiochet
Depois de uma boa alimentação me recuperei um pouco e saímos do posto rumo ao Playground do Maneca. Na foto abaixo é possível perceber que não tem tempo ruim.
Na BR-101 o vento forte continuava, mais uma vez não consegui acompanhar o ritmo dos três e enquanto o Cabelo e o Cassiba disparavam, o Maneca ficou para me fazer companhia. Ainda bem que agora faltam só 83 km até Joinville.
Chegando em Barra Velha o vento contra diminuiu mas o cansaço não, ás vezes tentava dar uma puxada mais forte mas logo o ritmo caía de novo.
Enquanto a noite caía o Maneca me incentivava e tentava me dar a força que eu não tinha, já estava exausto e não via a hora de descer da bike. Nessas horas pensava na frase que eu falei pro Cassiba: "sempre é bom fazer uma pedaladinha ligth".
Até que enfim chegamos em Joinville e mais alguns quilômetros pedalando ouvimos o apito do Deivi, fazendo festa com a nossa chegada. Eles já estavam nos esperando há 25 minutos.

Foto: Deivi Schiochet
Fui até na casa do Maneca para descansar um pouco e tomar um Gatorade geladinho. Cheguei na casa do Maneca ás 19:15 hs com 313,13 km rodados com média total de 23,9 km/h.


Tomamos um Gatorade e ficamos reclamando um pouco das dores, mas isso é só na hora que chega, depois relembrando tudo o que a gente fez dá vontade de fazer de novo. Maneca, muito obrigado pelo convite e ao Cassiba e Deivi pela companhia, foi um dos melhores passeios ciclísticos que já participei he he. Obrigado também ao Cassiba por ter me dado uma carona de carro até em casa, naquele momento voltar pedalando até em casa seria desgastante e desnecessário. Nesse pedal tenho certeza que conheci três grandes pessoas. Quem quiser saber mais sobre essa aventura acessem o Natividade Aventuras Joinville e o Diário de Ciclista.